Quando muitas pessoas comentam sobre o café, abre-se um debate sobre os benefícios e os malefícios que ele causa. E isso vem de médicos e especialistas que conversam sobre esse tema há anos e não conseguem chegar a um consenso. De qualquer forma, o café segue sendo uma bebida muito apreciada no Brasil.

E, para encontrar um meio termo entre eles, surgiu o café descafeinado, mas ainda assim, a divergência existiu e, embora alguns tenham gostado da ideia, outros continuam afirmando que este ainda assim traz prejuízos à saúde.

Porém, não são todos que dizem que o café descafeinado faz mal à saúde. Estudos e médicos afirmam que o café, sem a cafeína, pode melhorar o desempenho mental e aliviar as dores de cabeça, além de evitar que haja um aumento da pressão arterial.


O que é café descafeinado?

O café descafeinado é aquele em que a sua cafeína é extraída dos grãos verde de café, num processo anterior à torrefação do grão. Para que o café possa ser considerado descafeinado, é preciso que ele tenha mais de 97% da sua cafeína retirada.

xícaras de café

História do café descafeinado

A retirada da cafeína acabou se transformando na grande meta das indústrias que vendem o produto para que seja consumido. Como o café contém quase 1.500 compostos químicos, retirar a porcentagem de cafeína, mínima que seja, sem alterar o seu sabor, é uma tarefa extremamente complicada, quase impossível.

No ano de 1903, o químico alemão Ludwig Roselius conseguir retirar a cafeína do café sem alterar muito o seu sabor. Ele utilizou cloreto de metileno, que dissolve minimamente os outros componentes do café e evapora com facilidade.

Com isso, ele acabou criando uma marca de café inspirada no café francês, de nome Sanka, que era sem cafeína. E, com isso, diversas outras marcas de café descafeinado surgiram, todas baseadas nesse método de fabricação.

Só que, em 1980, descobriram que o cloreto de metileno era uma substância cancerígena. E, dessa forma, a indústria cafeeira foi obrigada a desenvolver outras formas de descafeinar o café.

Com isso, o primeiro método foi feito com água, onde a cafeína é extraída em água quente, dissolvendo-a na água. Após isso, ela é retirada da água com um solvente orgânico e, em seguida, a água sem cafeína, mas com todos os outros sabores do café, sendo colocada de volta nos grãs e secada.

Outro processo foi extrair a cafeína e a transformá-la em gás carbônico, mas numa fórmula que não é líquida, gasosa, nem sólida.

E por último, um processo em que se lava os grãos do café com água quente saturada com os compostos químicos do café, exceto a cafeína, sendo apenas dissolvida na água, sendo retirada depois.


Recomendações do café descafeinado

Recomenda-se tomar um ou duas xícaras de café descafeinado por dia, fato este que não trará mal algum à saúde.

Entretanto, se a pessoa tiver problemas com colesterol alto, ou tendências a ter doenças no coração, é necessário que converse com o médico antes de fazer a ingestão da bebida.
O café descafeinado contém antioxidantes que trazem benefícios à saúde, mas a sua ingestão, em momento algum, pode substituir os antioxidantes presentes nas frutas e nos legumes.

Compartilhe esse artigo: